Alergia

Todo mundo sabe que eu sou linda, legal e inteligente. Mas às vezes eu fico chata, e fico chata propositalmente mesmo, quando eu estou com raiva de alguém ou algo.

When there is nothing left to burn… you have to set yourself on fire.

Olha, não pense que eu tomo trechos de letras de música como mantras. Mas esse é bem aplicável:

Melhor do que ficar aí, pensando merda, tramando intriguinha, assistindo pela quinta vez a mesma reprise de algum seriado, ouvindo músicas nostálgicas e imaginando diálogos que você nunca vai ter coragem de ter — em vez de fazer qualquer uma dessas coisas ou outras similares, que no fim não levam a lugar nenhum, vá lá e se esfole. Se esfole de trabalhar, se esfole socando uma parede, se esfole se reiventando, se esfole andando uma hora na chuva para depois acordar com uma pneumonia, se esfole finalmente mandando alguém tomar no cu. Se esfole falando logo que você não é idiota e sabe muito bem o que aquela pessoa que acha que tá enganando todo mundo está pensando na verdade. Porque isso aqui não é campo de mimimi, e porra (em homenagem ao bruno curte meus desenhos)

Se ferrar, na maioria das vezes, é libertador. Ao menos quando for intencional. Você pode discordar agora, mas — lá no fim –, você vai ver que é verdade.

E não se castre, por favor. Não sofram da mesma síndrome que eu. Não seja estúpida e aguente de boca calada. Quebre a porra das caras que você acha que não pode quebrar. Pise em cima de quem te acha a merda no sapato. Que estão usando as suas músicas. O tempo que te fizeram de trouxa esgotou. Tem que ter esgotado.

Não me confundam com certas pessoas que não sabem usar lápis de olho, ou que acreditam que toda letra de música foi escrita para descrever suas aflições pessoais. Que realmente acham que são boas naquilo que fazem mas não contribuem em nada para algo que realmente importe.

Esse lugar em que eu escrevo poucas pessoas lêem, e mesmo assim nunca digo nada diretamente. Não porque sei que alguém vá ler, mas porque tudo é sim relativo. As palavras que eu uso mudam de sentido todos os dias, para mim mesma. Se às vezes escrevo que está tudo uma merda aqui, no dia seguinte tudo pode estar certo. E isso acontece porque minha vida se tornou uma daquelas temporadas de série em que todos os episódos tem alguma coisa acontecendo. O problema é que eu acho que sou eu a causadora de tudo isso. É muito difícil eu ter uma conversa com alguém na qual eu diga o que eu quero realmente dizer. Porque eu gosto de metáforas. E também porque eu acho insensato falar coisas que na verdade se referem a mim. Que sentido tem em você dizer para alguém que está magoado por alguma coisa que essa pessoa fez, mas não deveria ter feito por cuidado com você? Pessoas não se magoariam se não esperassem atitudes já definidas para os outros. Se não esperassem que tomariam cuidado quando se trata de você. Uma vez eu li que na verdade, ninguém machuca os outros intencionalmente. As pessoas apenas agem de uma forma que parece melhor para elas mesmas, para depois pensar nas consequências para os outros. Nada demais. Cuidado é algo que não se pode cobrar.

Porque sim, não sou a vampirona do momento, não sou a boazinha, não sou a vadia da história e também não sou a psicótica. E eu odeio tentarem me transformar em quem eu não sou. Sou Camila, prazer, odeio palhaçada e meu ego é muito grande para eu ligar se você acha que não passo de uma poser que banca a independente, a moralista hipócrita e o caralho a quatro. Porque eu sim não sou a adolescente-cretina-que-não-tem-nada-pra-dizer.

Bazinga. I don’t care.

Eu não costumo usar meu blog pra reclamar. Eu tenho o blog para escrever mas também… posso ter o blog pra reclamar!

Aí quem achar que eu reclamo demais, é só não me ler. Não vou mudar meu jeito de julgar os outros, porque eu julgo mesmo, porque tem gente que acha que me conhece e fica insatisfeita. Se eu fosse paga por alguma empresa para ser atriz, com certeza meu estilo seria outro e eu fingiria que amo todo mundo. Mas não é o caso.

Não entendo uma pessoa que faz questão que você saiba que ela tá insatisfeita com os seus julgamentos. Eu não tô prestando um serviço à população, então pergunto: a troco do que? Aparecer? Ou é ingenuidade de achar que por causa da reclamação de uma pessoa que acha que é indispensável eu vou passar a ser miguxa e alegre e perfeita?

Ah vá.

Prefiro ser insuportável do que ser retardada hein?

* * *

Então assim. Se me acham a pedra no sapato, de coração: foda-se. Tá cheio gente miguxa num mundo onde tudo é perfeito e lindo e cor de rosa por aí. Vão procurar outra amigue e parem de encher a porra do meu saco. Ou comecem a me pagar pra eu agir do jeito que vocês se agradam.

Eu acho bem desagradável ter que incomodar quem me lê porque gosta com esse tipo de post. Mas porra, parece que se eu não deixar claro pelo menos a cada dois meses que ninguém sabe realmente o que tá acontecendo, não rola.

O mundo precisa de uma nova peste. Com urgência.

Anúncios

Um comentário em “Alergia

  1. HUAHUAUHAHUHUAUH vamo arrumar alguma coisa melhor pra fazer. To linda de Zé Gotinha emo mimimi.

So what?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s