your present

No need to wait.

No need to suffer.

No need to doubt.

No need to argue.

Probably it was like the movies. Probably it was simple and charming. Probably it felt like it was meant to be. Probably it was exactly like I wish it had been with us. Probably it was a “losing something to get something better” kind of shit. Probably it is exactly like it would never be with us. Probably I will never understand or let it go.

It is probably nothing, but it feels like the world.

Fique com o vento, deixe que ele te faça companhia enquanto passa entre os seus cabelos, enquanto folheia seus livros e derruba no chão algo que te dei no passado, porque você deixou a janela aberta.

Fique com o sol, deixe que ele te faça companhia enquanto aquece o que uma brisa inesperada esfriou, enquanto ele forma sombras de desenhos abstratos no chão do seu novo quarto onde nunca estive, porque você deixou a janela aberta.

Fique com a chuva, deixe que ela te faça companhia enquanto bate no seu teto e faz com que você se sinta protegido, enquanto molha e apaga uma das cartas que te escrevi, porque você deixou a janela aberta.

Me deixe acreditar que você deixou a janela aberta.

É essa a crueldade suprema da vida: ela continua. No final eu percebi que não podia mais voltar para casa e nem podia deixar de encarar o futuro. Um futuro mais inacreditável do que um futuro com carros voadores e teletransporte. Um futuro sem você, um futuro onde o que você faz é por outra pessoa, um futuro onde nós não demos certo. 

Decidimos ter uma vida ordinária, com pessoas ordinárias, garantindo a felicidade ordinária que isso causaria, e a única forma era saindo um da vida do outro. Você nunca precisou de mim, era eu quem precisava de você e sabia que nao ia passar, que nao era um simples caso de “o tempo vai curar”, mas eu sabia também que você já nao era mais o você que eu precisava. Cruelmente o destino te colocou na minha vida para que eu pudesse ter um breve vislumbre de como ela poderia ser, mas nunca seria. Era só esse o seu papel na minha vida – me dar o privilegio de saber, mas apenas saber, como seria um vida nao ordinária. Obrigada por isso.

Eu tirei você da minha vida, apesar da impossibilidade óbvia dessa afirmação. Toda vez que nos abraçávamos para nos despedirmos um do outro, eu sentia que algo aconteceria para impedir que nossos corpos se afastassem. 

Nada nunca aconteceu. E a vida continuou.